Cadastre seu e-mail para receber dicas fantásticas sobre SUCESSO e PROSPERIDADE

Perdoar, suas três manifestações e a gratidão.

Assisti a um vídeo recentemente, sobre Perdoar, e soube que precisava compartilhar com vocês. O vídeo é da UCLA Medical School, da Prager University, e nele o Dr. Stephen Marmer falou em poucos minutos e com uma profundidade e uma simplicidade maravilhosas, sobre três formas de perdão.

perdoar-0

A visão do Dr. Marmer não fala em gratidão, mas eu podia ouvir a palavra sendo sussurrada em meu ouvido ao longo do vídeo. Você logo entenderá o porquê disto. Ele explica que o ato de perdoar é inerente do ser humano, e acontece em três níveis diferentes: desculpa, tolerância e libertação.

E eu quero hoje explicá-los para você, para que entender que “perdoar é divino”, mas está ao alcança de nós que somos meros mortais.

 

A Desculpa

Imagine que seu filho está tomando o café da manhã todo empolgado para o jogo de futebol que vai ter logo mais, e na empolgação ele esbarra a mão na caneca e o líquido se espalha pelo chão.

Ou que um amigo promete ir contigo naquela festa bacanérrima, já que você não tem coragem de ir só, pois sabe que vai encontrar o ou a ex com o novo amor. Vocês combinam de se encontrar na festa e quando você já chegou lá percebe que o amigo não veio nem avisou. E só vai saber o motivo no dia seguinte – quando ele te contar que passou mal com o camarão que comeu no almoço.

Ou ainda que a moça que te ajuda na limpeza apareça com tua calça preferida manchada de água sanitária. Ela fala contigo que a culpa foi dela e que irá te comprar outra, que esbarrou  no produto e caiu.

Você vai acha que estes erros são imperdoáveis ou que eles podem ser desculpados? A não ser que você esteja com “espírito de porco” no dia que algo semelhante acontecer, você vai desculpar seu filho, amigo ou seu braço direito na limpeza de casa, correto?

perdoar-2

Desculpar é algo corriqueiro em nossas vidas. Fazemos isto o tempo todo com filhos, amigos, alguém em quem confiamos que dá uma “bola fora” sem pensar, caso contrário nossa vida seria insuportável. Segundo Dr. Marmer, a desculpa é como “apagar um quadro negro” e devolvê-lo a seu estado original, pronto para ser usado de novo no dia seguinte.

Mas existem algumas condições para que a desculpa aconteça.

 

Condições para a desculpa acontecer

Para que a desculpa ocorra, normalmente está presente ao menos uma destas condições:

  • Você percebe que realmente foi um acidente o que ocorreu, que não houve intenção de prejudicar.
  • Quem fez a ação prejudicial foi uma criança, um incapaz, ou alguém que você ama.
  • Quando quem fez esta ação prejudicial desculpa-se sinceramente pelo ocorrido, assume a responsabilidade.
  • Quando esta pessoa diz que não vai repetir o erro.

Como pode ver, é o que ocorre normalmente nas nossas relações diárias, dentro de casa com filhos, parentes mais idosos de quem cuidamos, com amigos, com pessoas com quem contamos. Esta é a atitude mais próxima de perdoar que temos no nosso cotidiano.

 

A Tolerância

Imagine que você pediu para seu parceiro guardar uma parte do dinheiro para os passeios da viagem que vão fazer. Ele guarda, mas no dia da viagem não lembra aonde pôs! Quando encontra, no último minuto para saírem de casa, pede desculpas, mas já no carro começa a justificar que se não tivesse tanta responsabilidade que “jogam para cima dele”, teria prestado atenção aonde havia guardado o dinheiro. Que está sempre “estressado por causa dos outros”… e você sabe que ele está insinuando que você é quem o estressa e joga responsabilidade para ele.

Já passou por algo parecido? Pois então, o que você faz com esta pessoa? Larga no meio da estrada? Joga na cara dela que ela não está se desculpando, mas te acusando? Briga e estraga a viagem?

Outra possibidade: seu chefe todo dia vem para o trabalho sem a mínima paciência. Você fala, e ele te responde rispidamente, grita contigo ou te humilha na frente de outra pessoa. Depois se arrepende e pede desculpas, dizendo que ele “não tem culpa, porque você o irrita”. Ou que está com “dor de cabeça” com aquele trabalho…Você não pode largar o emprego, tem pena do desequilíbrio dele, e acaba convivendo diariamente com isto, até que alguma oportunidade abençoada apareça.

perdoar-3

A menos que você esteja com “espírito de porco”, vai acabar respirando fundo, dando aquela olhadinha de lado, e concordando para não brigar com a pessoa. Isto chama-se tolerância.

 

Condições para que a tolerância ocorra

A tolerância não apaga tudo o que a pessoa falou, como é o caso da desculpa. Mas a pessoa que “pisa na bola” sente segurança de fazer o que faz, porque sabe que você gosta dela ou depende dela por algum motivo. Normalmente a relação é afetivamente muito próxima, ou tem uma relação de interesses implícita que não pode ser quebrada como nos exemplos acima.

Desta forma, a relação de tolerância acontece para preservar uma relação que é importante para você. Mas eu ressalvo uma questão aqui: quem é mais importante, esta relação ou sua saúde emocional?

A tolerância tem limites, e o limite é o quanto isto te dói por dentro. Quando as ofensas ou meia desculpas são frequentes você deve se preservar, a não ser que queira ser a palmatória do mundo. O dr. Marmer fala de algumas estratégias a serem usadas.

banner_a-gratidao-transforma

Estratégias para ser tolerante

Aqui percebemos que a situação é mais complicada, e exige um maior grau de compreensão de nossa parte. As estratégias citadas pelo dr. Marmer são:

  • Parar de pensar que a ofensa é particular
  • Livrar-se de rancores ou fantasias de vingança
  • Manter-se num grau de vigilância, “perdoando mas não esquecendo, e “confiando mas verificando.”

Neste ponto acho válido falar do sentimento de gratidão. Dr. Marmer  não o menciona, mas diz que exercemos a tolerância porque sabemos que todos nós somos imperfeitos. Quando enxergamos o outro em nós mesmos conseguimos entender suas atitudes, vemos o lado bom da pessoa ou da situação, o que nos faz rever o motivo de estarmos ali. Se a pessoa depois se esforça para não cometer mais o erro, e se conseguimos ver o que aprendemos com a situação, conseguimos agradecer pelo ocorrido. Só então a tolerância torna-se desculpa, e finalmente, podemos perdoar.

perdoar-1

A Libertação

Conheci um senhor que perdeu seus bens e sua família por ter sido traído pelo sócio. Ele confiava inteiramente na pessoa, e esta desviou o dinheiro da empresa, lhe deixando com dívidas que deveriam ter sido saldadas com o dinheiro desviado. Este senhor infartou com a decepção. Em seguida, os bancos lhe tomaram o imóvel e seus carros. Sua esposa o abandonou. Ele chegou a morar na rua, pois não tinha coragem de pedir abrigo ou dinheiro a outros familiares. Hoje se reergueu,  tem seu emprego mas somente quando alcançou a libertação.

Há situações que são mais difíceis de se perdoar. Aqui dr. Marmer diz que é quando quem magoa não se desculpa nem admite o erro que cometeu. Isto ocorre em situações graves, como:

-abuso na infância

-abandono

-traição

-ser enganado por sócios.

Como perdoar a alguém que verdadeiramente age de má fé, abusando, abandonando ou traindo a confiança da outra pessoa? Este tipo de mágoa é profunda, e quem a sofre só tem a possibilidade de ser feliz se perdoar. Mas como perdoar feridas tão profundas?

 

Libertação: quando perdoar é divino

Dr. Marmer explica algo sobre o qual já disse várias vezes, quando falo da gratidão: quando liberamos os sentimentos ruins, lembranças de coisas negativas que nos aconteceram, paramos de sofrer. O sentimento de ódio e vingança é um veneno que não atinge o mal feitor, mas a nós mesmos. Como disse dr. Marmer,  quem não libera os sentimentos ruins “define sua vida em termos do que o machucou.”

Na energia do ódio nos igualamos ao agressor. E sabe por que? Porque enquanto não largamos a dor, e a revivemos diariamente, convivemos com nosso agressores dentro de nós! E acho que ninguém quer isto. r. Marmer chama isto de “imposto silencioso” que pagamos por não nos libertarmos deste ódio. Ele diz que isto corroi a chance de felicidade.

perdoar-4

Como a gratidão facilita a Libertação?

Diante de um processo deste, somente a gratidão pode ajudar. Através dela entendemos que o agressor ou traidor tem uma doença na alma, que o impede de comprometer-se,  ser digno, ético e em alguns casos, humano no melhor sentido da palavra.

Se olharmos para o passado destas pessoas, veremos que tiveram experiências traumáticas. Não houve compaixão por eles, ou quem os defendesse. Só sabem reproduzir a situação, fazendo vítimas que não tem nada a ver com o agressor deles. Não conseguiram processar a situação, nem perdoar. E mergulhando no ódio e na raiva, só puderam gerar o mesmo.

Se a pessoa se sente tão agredida ou traída, ainda assim ela pode levantar uma bandeira diferente do ódio. Ela pode agradecer por ter recebido uma lição tão marcante que a fez tornar-se irrepreensível, digna, ética, comprometida e humana. Ela sabe que não é igual ao agressor. Ela pode respirar aliviada, dormir sossegada, e espalhar amor. Quebrar o ciclo de ódio hereditário e aleatório que este tipo de mágoa gerou.

banner_a-gratidao-transforma

Ser grato leva ao nível mais difícil de perdão. Perdoa aquilo que consideramos imperdoável. Livrando-se do passado que te pesa como um saco de pedras nas costas, ocorre a Libertação. Toda pessoa merece viver de acordo com suas melhores emoções, e não como marionete do rancor implantando por outra pessoa. Pratique a gratidão diriamente. Você aprendeu a lição. Sou grato. Você é digno. Sou grato. Você conhece o amor pelo próximo. Sou grato.

Eu acredito, como Dr. Marmer, que a nossa capacidade de perdoar é inerente do ser humano, porque devido a ela é que não nos destruímos nem desistimos de viver. Em todos os seus níveis, aos desculparmos, tolerarmos ou nos libertarmos, estamos mais próximos de sermos a melhor versão de nós mesmos.

Se gostou deste artigo comente abaixo, e compartilhe para que outras pessoas possam também tornar-se a melhor versão delas mesmas! Gratidão!

BT_RECEBER

 

 

 

 

QUER SALTAR PARA O PRÓXIMO NÍVEL DE SUA VIDA?

Eu vou te mostrar que SUCESSO não é uma questão de sorte ou azar. A grande sacada do sucesso profissional e pessoal é que ele pode ser construído com o auxílio de uma metodologia específica, que atua sobre as crenças limitantes e os sabotadores, eliminando-os de vez. E isso vai te fazer saltar para novos patamares de resultados, atraindo prosperidade e realização para sua vida.

SAIBA MAIS

© 2016 Marcia Luz. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Termos de Uso. Desenvolvido por Blueberry Marketing.

Top